quarta-feira, 7 de junho de 2017

Ney Matogrosso em Coimbra

Ney Matogrosso vem ao Convento São Francisco apresentar o seu mais recente trabalho intitulado Atento aos Sinais.

Nascido a 1 de agosto de 1941 Ney Matogrosso, é uma das melhores vozes brasileiras de todos os tempos, lançou o seu primeiro disco Água do Céu - Pássaro em 1975, construiu um reportório que prima pela qualidade e versatilidade, interpretando compositores como Chico Buarque, Cartola, Rita Lee ou Tom Jobim.

Ney Matogrosso apresenta no Convento de São Francisco o seu último disco, Atento aos Sinais, que resulta da gravação em estúdio do projecto, com o mesmo nome, que o músico estreou ao vivo em Fevereiro de 2013.

Atento aos Sinais é uma superprodução pop, com músicas de compositores consagrados, como Caetano Veloso e Paulinho da Viola, mas que também abre espaço à criação musical emergente, incluindo temas de Criolo, banda Zabomba, do alagoano Vítor Pirralho, Dan Nakagawa e dos cariocas do Tono.

Dia 14 de Junho pelas 21.30 h, um espectáculo a não perder .

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Feira Cultural de Coimbra 2017

A Feira Cultural de Coimbra começa já amanhã que tal aproveitar o fim-de-semana para nos visitar?

Já tem planos para este fim-de-semana? Que tal fazer uma visita a Coimbra e aproveitar uma das feiras mais emblemáticas da nossa cidade

De 2 a 11 de Junho a Feira Cultural de Coimbra oferece dias cheios de actividades, descubra aqui o programa completo.

terça-feira, 23 de maio de 2017

Doçaria Conventual

A doçaria conventual tem um lugar de relevo na Carta do Restaurante Panorama.

Esta é talvez a doçaria Portuguesa de excelência, intitulou-se doçaria conventual porque eram os doces confeccionados nos conventos e caracterizam-se por serem, na sua maioria, compostos por grandes quantidades de açúcar e gemas de ovos.

Com origem no século XV, na mesma altura em que o açúcar entrou na tradição gastronómica dos conventos onde até à data o principal adoçante até esta altura era o mel, e apesar de o açúcar ser considerado um ingrediente vulgar permitiu a criação de várias “caldas” ainda hoje usadas. 

Os conventos eram à data compostos na sua maioria por população feminina que em muito casos que não tinham escolhido o a vida conventual por fé, mas sim por imposição social, e para se entreterem durante o interminável tempo claustral, dedicavam-se à confecção de doces que foram aperfeiçoando.

Com o passar dos séculos, e especialmente a partir de 1834 quando foi decretada a extinção das Ordens Religiosas em Portugal, as freiras e monges viram-se confrontados com a necessidade de angariarem dinheiro para o seu sustento e assim o destino dos doces conventuais era a venda nos vilarejos das redondezas do convento onde eram criados, e assim aos pouco os segredos da confecção dos doces conventuais foi passando das freiras para as mulheres com quem tinham um contacto próximo.

A lista de doces conventuais é extensa e abrange todas as regiões de Portugal, o Restaurante Panorama na sua sobremesa Trilogia de Doces Conventuais incluiu o toucinho-do-céu originário de Trás-os-Montes, as encharcadas provenientes do Alentejo e da nossa região os tradicionais pastéis de Tentúgal.

Esta é mais uma razão para vir conhecer a Carta do Restaurante Panorama.

terça-feira, 16 de maio de 2017

Portugal é o novo menino bonito da Europa

Portugal está na moda e a cidade de Coimbra continua em lugar de destaque.

Um recente artigo do New York Post elegeu Portugal como o novo menino bonito da Europa. O artigo dá especial enfase ao centro do país, zona que normalmente não tem tanto destaque, salientando a riqueza histórica, as deslumbrantes paisagens, a tranquilidade e claro a gastronomia.

O artigo salienta também aspectos como o luxo a preços acessíveis, as festas populares como o São João ou rivalidade histórica entre Lisboa e o Porto.

O New York Post neste seu artigo destaca Coimbra num ponto intitulado “Getting lost in one of the world’s oldest college towns”  ou seja “Perder-se numa das mais antigas cidades universitárias do mundo”.

O artigo classifica a cidade como a Oxford portuguesa, salientando a sua localização a um par de horas de Lisboa, sobre o Rio Mondego, as ruas da zona histórica, que de acordo com o New York Post, tem um “sabor” árabe e claro a Biblioteca Joanina que conta com mais de 2 milhões de títulos.

Coimbra está nas bocas do mundo o que está à espera para nos vir visitar?

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Dia da Mãe no Hotel D. Luís

Está a chegar uma das datas mais importantes do ano o Dia da Mãe, e nada como comemora-lo com os sabores tradicionais preparados pelo Chefe Alexandre Santos.

Citando Mia Couto em O Último Voo do Flamingo, ele escreve “No coração envelhecido de uma mãe, os filhos regressam sempre tarde.”

Todos os dias são importantes para estarmos juntos daqueles que nos amam, mas esta data carrega um especial simbolismo.

Comemorado no primeiro domingo de Maio o Dia das Mães ou Dia da Mãe, é o dia em que se
homenageia a mãe e a maternidade, tendo tido na Grécia Antiga, a primeira comemoração conhecida, onde a entrada da primavera era festejada em honra de Rhea, a Mãe dos Deuses.

A forma actual como celebramos o Dia das Mães foi idealizada pela filha de Ann Maria Reeves Jarvis, a metodista Anna Jarvis, que a 12 de Maio de 1907, dois anos após a morte de sua mãe, criou um memorial em sua homenagem, tendo dado inicio uma campanha para que o Dia das Mães fosse um feriado reconhecido.

O sucesso foi tal que conseguiu mesmo torná-lo reconhecido nos Estados Unidos a 8 de maio de 1914, tendo sido aprovada pelo Congresso dos Estados Unidos, instalando o segundo domingo do mês de maio como Dia das Mães.

Em Portugal, o Dia da Mãe é comemorado no primeiro domingo de Maio, seguindo a tradição da Igreja Católica, embora durante muitos anos tivesse sido comemorado no dia 8 de Dezembro.

Venha conhecer o menu preparado pelo Chefe João Alexandre.
 
 

terça-feira, 25 de abril de 2017

O que visitar em Coimbra - Convento de Santa Clara-a-Velha

Este é um dos monumentos mais importante da cidade de Coimbra e um dos mais visitados do país.

O Mosteiro de Santa Clara de Coimbra, mais conhecido como Convento de Santa Clara-a-Velha, está localizado na margem esquerda do rio Mondego.

Fundado em 1283, por D. Mor Dias, o Mosteiro de Santa Clara de Coimbra foi entregue às freiras clarissas pouco depois.

Foi invulgar, à época, a construção de três naves de altura idêntica, abobadadas em pedra, ao invés da cobertura de madeira, então usual pelas Ordens mendicantes, assim como a ausência de transepto, o que permitiu o maior alongamento do claustro.

A iluminação das naves é feita por duas rosáceas nos extremos da nave central e por janelas duplas, de grande altura, rasgadas nas paredes laterais.

Este monumento representa um momento de experimentação do estilo gótico no país, inscrevendo-se numa conjuntura de gradual influência e aceitação da Ordem dos Frades Menores na Corte e na sociedade portuguesa em geral.

O Mosteiro cedo foi palco das inundações provocadas pelo rio Mondego tal como as que ocorreram em 2016, e ao longo dos anos foi sendo alvo de sucessivos alagamentos e adaptações arquitectónicas a esta circunstância.

Depois de um amplo projecto de valorização este Monumento Nacional e Sítio Arqueológico (Séculos XIV – XVII), passou a dispor de um Centro Interpretativo. O percurso do visitante engloba visita às ruínas, exposição de espólio arqueológico conventual, exibição de filmes e modelação virtual.

terça-feira, 11 de abril de 2017

The Color Run Coimbra

No dia 30 de Abril venha a Coimbra fazer os “5 km mais felizes do planeta”.

Fundada nos EUA em Janeiro de 2012 como um evento para promover a saúde e felicidade, a The Color Run e acima de tudo um evento em todos possam se divertir.

Presente em mais de 30 países é neste momento a maior série de eventos em todo o mundo com mais de 1,6 milhões de participantes.

Em Portugal o The Color Run surgiu em 2013 e logo foi um sucesso, com 5 cidades a esgotarem e com um total 74.000 participantes, tendo sido o nosso pais o primeiro da Europa a receber este Evento.

Com 2 regras muito simples, o uso obrigatório de um t-shirt branca no inicio da prova e acabar todo colorido e onde caada quilómetro do percurso é associado a uma cor: amarelo, laranja, cor-de-rosa e azul.

O The Color Run é uma grande festa de alegria e diversão e quer se trate de um participante ocasional ou de um verdadeiro atleta, estes 5 km constituem uma experiência incomparável, em que não só a cor, mas também o riso, a alegria e o convívio são comuns a cada um dos participantes, os chamados “Color Runners”.